Facebook e OAS cooperarão em integridade eleitoral, direitos humanos e recuperação econômica

O Facebook e a Organização dos Estados Americanos (OEA) assinaram um acordo para colaborar em iniciativas de integridade eleitoral, promover os direitos humanos e impulsionar o desenvolvimento econômico nas Américas frente aos desafios colocados pela pandemia.

O acordo foi assinado pelo Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro, e pelo vice-presidente de Assuntos Globais e Comunicações do Facebook, Nick Clegg, em uma cerimônia online realizada após uma reunião de trabalho entre as duas equipes. 

“Acreditamos que este acordo é o início de uma parceria frutífera, utilizando meios inovadores para promover a democracia, a segurança, o desenvolvimento e os direitos humanos. Vemos no Facebook um parceiro que compartilha nossos objetivos para as Américas e com quem podemos trabalhar de forma produtiva para o bem dos cidadãos de nossa região. Estamos iniciando a cooperação em questões de integridade eleitoral, desenvolvimento sustentável e liberdade de expressão, mas esperamos expandi-la para muitas outras áreas”, disse o Secretário-Geral da OEA, Luis Almagro.

O Facebook e a OEA desenvolverão e implementarão projetos conjuntos de pesquisa, programas de treinamento e divulgação de estudos em áreas de interesse mútuo. O acordo visa melhorar as respostas a desafios regionais, como desinformação, integridade eleitoral, liberdade de expressão ou a proteção daqueles que defendem os direitos humanos, a fim de alcançar um debate cada vez mais plural, online e offline.

“No Facebook, estamos cientes dos desafios que a região enfrenta e da importância da tarefa da OEA de fortalecer a democracia e os direitos humanos nas Américas. Essa aliança fortalece nosso trabalho diante de desafios como desinformação, integridade eleitoral, liberdade de expressão, privacidade e proteção daqueles que defendem os direitos humanos”, afirma Clegg.

O vice-presidente de Assuntos Globais e Comunicações do Facebook acrescentou que a empresa criou equipes e sistemas para proteger a integridade das eleições em suas plataformas em momentos-chave para a democracia. Desde 2017, disse ele, o Facebook já trabalhou em mais de 200 eleições ao redor do mundo, muitas delas na América Latina.

Ambas as equipes também discutiram os esforços de desenvolvimento em uma região que está lutando contra o efeito devastador da pandemia do COVID-19.

O Facebook está empenhado em apoiar as campanhas de vacinação de governos e agências de saúde nas Américas em todas as suas plataformas para promover a imunização do maior número possível de pessoas, disse Clegg. A plataforma social também está conectando milhões de pessoas com informações confiáveis ​​para ajudá-las a se protegerem da pandemia e equipando as pequenas empresas com ferramentas digitais para enfrentar a crise, acrescentou.

Almagro destacou que a OEA possui ampla experiência na promoção da democracia, dos direitos humanos, do desenvolvimento sustentável e da segurança multidimensional e, especialmente, nas três áreas de colaboração deste acordo. A OEA observou mais de 280 processos eleitorais nos últimos 50 anos e seu trabalho para reduzir a exclusão digital ajudou mais de 70 mil pequenas e médias empresas da região a ter presença online. Por meio do Sistema Interamericano de Direitos Humanos, a OEA levou justiça a milhares de vítimas que não puderam obtê-la em seus países e concedeu proteção urgente a indivíduos e grupos em situações vulneráveis.

 



Usamos cookies para ajudar a personalizar conteúdo, mensurar anúncios e fornecer uma experiência mais segura. Clicando ou navegando no site, você concorda em permitir a coleta de informações dentro e fora do Facebook por meio de cookies. Saiba mais, inclusive sobre os controles disponíveis: Política de Cookies