Removendo conteúdo que negue o Holocausto

Por Monika Bickert, vice-presidente de Políticas de Conteúdo

Hoje estamos atualizando nossa política de discurso de ódio para proibir qualquer conteúdo que negue ou distorça o Holocausto.

Organizações que estudam tendências do discurso de ódio estão reportando aumentos dos ataques online contra muitos grupos no mundo todo e continuamos trabalhando para remover esses conteúdos. Já banimos mais de 250 organizações de supremacistas brancos e atualizamos nossas políticas para responder a milícias e ao QAnon. Também banimos rotineiramente indivíduos e organizações globalmente, e removemos 22,5 milhões de posts da nossa plataforma por discurso de ódio no segundo trimestre. Após um ano de consultas com especialistas externos, recentemente proibimos estereótipos antissemitas sobre o poder coletivo dos judeus, muitas vezes usados para descrevê-los como pessoas que dominam o mundo ou suas principais instituições.

O anúncio de hoje marca mais um passo em nossos esforços para combater o discurso de ódio em nossos serviços. Nossa decisão é baseada no aumento documentado do antisemitismo globalmente e no nível alarmante de ignorância sobre o Holocausto, especialmente entre os mais jovens. Uma pesquisa recente com adultos nos Estados Unidos entre 18 e 39 anos mostrou que quase um quarto deles acreditava que o Holocausto era um mito, havia sido exagerado ou que não estava seguro a respeito dele.

Instituições dedicadas a pesquisa e memória do Holocausto, como a Yad Vashem, têm notado que a educação sobre o Holocausto também é um componente-chave para combater o antissemitismo. A partir do fim deste ano, vamos direcionar as pessoas a informações críveis fora do Facebook quando elas pesquisarem na nossa plataforma termos associados ao Holocausto ou sua negação.

Trabalhamos há muitos anos com comunidades ao redor do mundo para nos ajudar a entender como o discurso de ódio, incluindo o antissemitismo, se manifesta online. Esses esforços incluem discussões regulares com grupos que têm alcance global, como o World Jewish Congress e o American Jewish Committee, bem como organizações de proteção de comunidades judaicas locais, incluindo o Community Security Trust no Reino Unido. Também temos trabalhado com instituições que combatem o discurso de ódio e o antissemitismo, como o Simon Wiesenthal Center.

Aplicar esta atualização de política não é algo que acontecerá da noite para o dia. Há uma série de conteúdos que podem violar essa política e levará algum tempo para treinarmos nossos revisores de conteúdo e sistemas para implementar essa atualização. Agradecemos aos nossos parceiros por compartilharem seus pontos de vista e sua franqueza enquanto trabalhamos para manter nossa plataforma segura.



Usamos cookies para ajudar a personalizar conteúdo, mensurar anúncios e fornecer uma experiência mais segura. Clicando ou navegando no site, você concorda em permitir a coleta de informações dentro e fora do Facebook por meio de cookies. Saiba mais, inclusive sobre os controles disponíveis: Política de Cookies